Análise – Videojogo – Formula 1 2018

Mais uma temporada, mais um jogo, a Codemaster regressa novamente este ano com o jogo oficial da temporada de F1 de 2018 e de admitir que já não jogo esta franquia há uns anos por isso comparações directas ou não com os jogos mais recentes ou o 2017 mesmo não serão feitas, nem o jogo em si por exemplo é considerado na avaliação aqui feita ao 2018.

Partindo para o que se pode fazer, o jogador pode escolher em aventurar-se por alguns modos de corrida como o Grand Prix, Time Trials, Campeonatos, e afins mas sem dúvida que a grande experiência de SP é o modo carreira em que podem criar um avatar, escolher uma das equipas iniciais com que assinar contrato e partir em busca das vitórias para a vossa equipa. Acho que este F1 2018 tem dos melhores modos de carreira que experimentei este ano e mesmo no fim de 2017 em jogos como o Project Cars 2, sente-se que há um acompanhamento real do nosso desempenho por parte da AI de equipa e ainda mais no fim de cada competição podemos falar com jornalistas e responder a certas questões em que consoante a nossa resposta vamos sentir isso a afectar o nosso ranking ou reputação dentro da nossa equipa, a atenção de mecânicos e não só para certas partes do nosso carro ou a nossa reputação como corredor, isto pode não parecer muito mas ajuda e bastante ao interesse por competir e levar a carreira ou campanha do jogo ao fim, algo que por exemplo Project Cars 2 falha redondamente a fazer criando um sentimento de monotonia e aborrecimento na jornada do jogador, também aqui acredito que as lições da Codemasters tenham vindo de jogos como os Grid publicados também por eles, também o nosso desempenho afecta a nossa reputação dentro da equipa bem como a nossa performance contra o nosso rival de equipa que escolhemos quando assinamos contrato com a equipa no inicio da carreira.

Ainda mais nisto durante as corridas temos sempre um membro da nossa equipa que nos vai dando conselhos conforme o estado do nosso carro ou o desenrolar da corrida e mesmo direcionando pela nossa estratégia definida de quando é para ir às boxes, ou dizendo que acha que o devemos fazer, dando-nos updates sobre quem está onde e sobre o estado do carro mesmo como a temperatura dos pneus e afins, temos também algumas opções rápidas para interagir com ele em termos de ele nos responder a perguntas como quem é que está à nossa frente ou de fazer pedidos para ir às boxes, tudo isto que acabei de falar aqui junto dá um dinamismo ao modo carreira espectacular e impressionante, e senti que finalmente dos jogos que tenho analisado encontrei um que sabe fazer um modo carreira para um jogo de corridas como deve ser.

Em termos do multijogador podem competir num modo ranked ou casual. A competição online é fenomenal e sente-se a pressão para testar as nossas habilidades que embora o CPU do jogo já nos dê um bom desafio não se compara a competir com outros jogadores humanos, é que é aqui que a verdadeira prova à nossa habilidade de condução e controlo destas máquinas de competição vai fazer-se sentir. Apesar de tudo e de haver sempre uns espertos que acham que é a atirarem-se para cima de outros que vão conseguir algo logo no inicio das corridas e que acabam por norma a ficar para trás e mesmo a desistir das corridas por verem que não vão conseguir ficar em nenhuma posição boa, devo dizer que em geral os condutores com que me “defrontei” tiveram sempre uma atitude correcta e desportiva. Tenho de falhas ao online a apontar duas coisas, o sistema de safety rating e driver rating ou rank dos jogadores que aqui não vi grande acção disso em termos de determinar que jogadores se juntavam em competição, penso que tentaram copiar algo do GT Sport e acabaram a não o saber implementar pois cheguei a competir ao mesmo tempo em provas/sessões ranked com jogadores que ainda não tinham um rating definido e outros que tinham de vários níveis já. Também apanhei um bug no matchmaking que bloqueava o jogo em que se entrasse num lobby ranked e saísse para procurar outra sessão ficava preso no a tentar ligar-me à sessão, ai conseguia cancelar a pesquisa mas se tentasse novamente o jogo ficava completamente preso na pesquisa por uma sessão e isto estendia-se ao modo casual também fazendo com que tivesse de sair mesmo do jogo, ainda indo mais longe cheguei a entrar numa sessão de competição casual e fiquei preso no menu que estava a tentar associar jogadores actualmente na sessão e via-os a sair e entrar e eu não conseguia sair.

O jogo em termos de jogabilidade deverá ficar bem a nível de Simcade, infelizmente as nossas análises de momento não desfrutam de uma racing wheel mas sim do comando da consola em si só. Penso que este jogo em termos de feeback na vibração do comando é daqueles que o faz bem, quando sobem lombas ou elevações e afins vão sentir isso mesmo num comando claro que não tanto quanto com um racing wheel mas vão e têm até um bom leque de opções no comando para personalizar o force feedback como a força da vibração, quando deve a mesma entrar em acção nos elementos da pista, dos elementos fora de pista como a gravilha e afins e até a força ou resistência das rodas embora esta esteja direcionada a quem tenha uma racing wheel. Também podem mexer com a rotação do volante, ou seja o efeito em quantos graus vai ocorrer a mesma quando viram para a esquerda ou direita e isto é engraçado porque eu pensei que o jogo tinha uma falha neste departamento com o comando, pois para conseguir uma rotação completa em curvas quando a desacelerar quase que tinha de forçar o analógico e em movimentos de o mexer para a frente e depois na direcção que queria e pensei mesmo que era uma falha, mas a brincar com esta opção das opções de force feedback e não só vi que era uma questão de ajustar em quanto a rotação do volante é feita quando mexo o analógico e quem jogue com assistências de condução desligadas vai precisar mesmo de mexer nisto se jogarem com comando como eu.

Outra questão engraçada é que vão ter um processo de desenvolvimento de melhoramentos para o vosso carro em termos de uma árvore de R&D quase como uma de habilidades de personagem num RPG, vão poder investigar melhoramentos de Aerodinâmica, Durabilidade do Componentes do Carro, Chassi e Performance que vão ajudar a que o carro tenha menos falhas, menos avarias e ganhe mais desempenho e resistência em geral durante as corridas, podem ir pondo em pesquisa estas habilidades com pontos de recursos que vão ganhando no fim de cada corrida e têm de aguardar e deixar passar algum tempo passe até a pesquisa ficar completa.

Em geral o jogo faz um bom trabalho a meu ver em dar-nos todo o desafio de estar a controlar uma destas bestas de F1 e ainda mais se desligarmos as assistências de condução, também temos algumas opções rápidas durante a corrida para ajudar a gerir o nosso desempenho como o nível de consumo de combustível, o nível de impacto dos travões nas rodas da frente, bem como fazer alguma gestão do sistema de ERS para ir oscilando o desempenho do nosso carro com base em se estamos a fazer uma prova de qualificação, ou se queremos mais desempenho para ultrapassagem e não só. Temos aqui algumas opções mecânicas boas para ir mexendo até antes de cada corrida e para testar nas provas de teste e adaptação à pista como mexer nos travões, na suspensão, experimentar entre os vários tipos de pneus, a distribuição de peso e não só, que são tudo coisas para nos ajudar a ajustar a aderência à pista, a estabilidade e potência/desempenho do nosso F1, mas claro que sendo isto a meu ver um Simcade as opções apesar de até várias não são tão completas quanto isso, mas esta linha de não ser tão completo acaba a ser um bocado ofuscada a meu ver pela árvore de R&D que é um elemento bastante interessante. Para finalizar o controlo entre carros clássicos e modernos têm diferenças algo notáveis para se destingirem e bem a meu ver mas acho que exageraram um bocado pois os clássicos sentem-se um bocado pesados na direcção e propícios assim a perderem a mesma e acabarem quase a fazer drift nas curvas que leva a uns quantos piões e isto pelo menos a alta velocidade, quando em mais baixas conseguem até ter um controlo bom dos mesmos mas aqui fica aquela questão a ideia de estar a conduzir um destes carros em linhas rectas ou curvas quase a direito não é ir a 130Km/h mas sim a 170, 180 ou 200 ou mais por isso a condução dos clássicos vai ser algo frustrante sim.

Acho que havia mais que podia falar deste jogo mas para fechar de notar que visualmente é deslumbrante na fidelidade dos modelos, nível de detalhe, nível de detalhe nas pistas apesar que os espectadores nas bancadas ainda parecem esquisitos, é sempre aquela coisa que se não for um jogo de rally os espectadores parecem sempre de cartão ou mau animados, aqui a meu ver parecem de cartão ainda mas pronto é um mal menor sinceramente e ainda mais quando até temos modelos de personagens razoáveis e alguns bons de membros da equipa e dos corredores. Uma coisa que notei é a linha de visão para lá do circuito que é vasta vê-se cidades no horizonte, edifícios e afins e penso que é uma boa aposta para dar imersão ao jogador, só fica mesmo a faltar as marcas de derrapagem dos carros realmente ficarem no asfalto bem como marcas de saída de gravilha ou relva, que já nos pneus se nota algo a ficar mas que ainda podem e deviam ir mais além nisto. No departamento de sons ficou espectacular desde sons das boxes de ferramentas a funcionar, carros a trabalhar, falas, etc.. penso que quem goste deste desporto vai encontrar aqui uma experiência que o vai fazer imergir por completo no jogo e mesmo o trabalhar dos carros em pista foi algo que gostei bastante dentro das várias fases de desenvolvimento e a diferença entre estar na vista de cockpit e ter o carro em terceira pessoa.

Por fim este é para mim dos melhores jogos de racing de 2018 e não me admira vindo da Codemasters ainda por cima. Consegue agarrar o jogador pelo seu modo carreira que é interessante e dinâmico e fazê-lo ficar pelos seus detalhes visuais, sonoros e de jogabilidade que ficaram bem conseguidos, o modo online pode ter alguns bugs e mau aproveitamento do sistema de rating de segurança em termos do tipo de condução dos jogadores mas mesmo assim não deixa de ser engraçado e desafiante competir com outros jogadores. Deixo como uma grande recomendação a quem goste do desporto e do género pois é sem dúvida dos melhores jogos de racing deste ano como disse e que só não consegue uma nota mais alta pelas questões apontadas do online bem como da questão da condução com os clássicos que ficou a meu ver talvez demasiado desafiante em termos de manter os carros direitos em pista, o que acaba a ser das partes realmente frustrantes do jogo em si, um jogo em que a AI é quase imperdoável na sua prestação e que nos faz realmente esforçarmo-nos para conseguir o 1o lugar, sim, a condução dos clássicos é mais desafiante que chegar ao pódio nas corridas do modo carreira, acreditem.

Nota Final – 8/10

+ Um modo carreira bem feito (finalmente) em que mete o jogador em situações interessantes e dinâmicas a afectar o seu percurso na mesma.

+ AI súper desafiante para testar as habilidades do jogador.

+ Em geral bons elementos de jogabilidade desde a condução, à personalização dos aspectos mecânicos do carro, a elementos da pista.

– A condução dos clássicos acaba a ser demasiado frustrante.

– Problemas no modo online que precisam de ser resolvidos e mesmo em geral uma optimização seria boa, penso que o matchmaking de sessões podia ser melhor para não obrigar os jogadores a entrar em sessões que estão já a decorrer, talvez agrupar jogadores em grupos pequenos se não houver um grande número.

– A falta de certos elementos visuais já não tem mesmo desculpa, gostava de ver as marcas de derrapagem em pista e fora dela a ficaram, as partes partidas dos carros a lá estarem também nem que seja pedaços do chassi da pintura.

Texto: 100porcentotuning.com